quinta-feira, 2 de março de 2017

Antonio Fábio volta aos palcos com ‘Major Oliveira’ em março no Pelourinho

Foto: Andrea Magnoni.

O ex-torturador volta à cena para levantar mais uma vez os debates sobre a velhice de sujeitos opressores e anuncia a chegada de mais um grupo teatral na capital baiana.



Recém-chegado das gravações de ‘13 dias longe do sol’, seriado protagonizado por Selton Mello e Carolina Dieckman em parceria com a O2 filmes e a Globo, o ator Antonio Fábio retorna a Salvador para mais uma temporada de Major Oliveira. A peça volta em cartaz no dia 08 de março no Teatro Sesc-Senac Pelourinho, às 19:30, e segue em temporada às quartas e quintas do mês, até o dia 23.
A peça narra a história de um Major abandonado no asilo pelos filhos logo após a instalação da Comissão da Verdade no Brasil e de como ele tenta encontrar o controle sobre algo em sua vida. Ao perceber que a situação de seu corpo, de sua família e da política do país não são é mais controlada por ele, o Major se coloca em teste resolvendo perturbar a paz daqueles que o visitam na manhã de domingo onde o espetáculo se passa.
A visita de um enfermeiro e uma Testemunha de Jeová naquele dia levam o Major a tentar bruscamente relembrar seus tempos de torturador durante o Regime Militar. O confinamento no asilo conduz o protagonista da peça a refletir sobre as convicções morais, filosóficas e religiosas tidas durante a vida.
Para o dramaturgo e diretor Daniel Arcades, “o espetáculo estampa a face do opressor e conta uma história de derrota, como pouco vemos nesses casos. Estamos acostumados a ver indivíduos como o Major apenas em situação de poder. Partimos da falência destas pessoas, queremos saber o que eles sentem quando não conseguem mais oprimir. É uma história sobre envelhecer”.
Antônio Fábio, ator que dá vida ao personagem e também diretor da obra, ao falar sobre o desafio de encarar personagem tão forte em um monólogo afirma que “todas as características de um sujeito com uma formação ditatorial está lá: ele é misógino, racista, homofóbico e tudo que se possa pensar sobre preconceito”.
“Dar vida ao Major é prestar atenção nos nossos pais, avós, nos coronéis, nas famílias tradicionais. É saber que além de um corpo se findando, existem ideias que permanecem”, declara o ator.
O espetáculo conta com a contribuição de Ronei Jorge, na Direção Musical, que assina a trilha sonora tensa e soturna. Edeise Gomes assina a direção de movimento e Nando Zâmbia a iluminação do espetáculo. A equipe promete ocasiões de tensão e de muita reflexão diante das nossas crenças éticas, morais e religiosas.
A volta do espetáculo marca também o lançamento de um novo grupo na cidade de Salvador. A partir de março, a Cia. Casamento Aberto inicia suas atividades na cidade de Salvador e pretende ser mais um espaço para a pesquisa cênica e para a colaboração de novas poéticas no cenário baiano. Além disso, o grupo também pretende pesquisar maneiras de inserção no mercado, estratégias de formação e atividades de difusão pelo território baiano do fazer teatral.
Casamento Aberto
Depois de um ano trabalhando juntos com o espetáculo Major Oliveira, os idealizadores do projeto decidiram se jogar em um novo projeto. Daniel Arcades, autor e diretor de Major Oliveira, diz que “sentimos vontade de estarmos mais juntos para pesquisarmos sobre questões comuns a todos que estavam juntos no Major”.
“Percebemos a necessidade de começar a tratar a nossa poética como algo em desenvolvimento”, completa Arcades, indicado como melhor autor no prêmio Braskem de Teatro pelo espetáculo Rebola.
Antonio Fábio e Daniel Arcades têm a mesma opinião quando falam da origem do nome da Cia. “Somos um casamento aberto porque todos os integrantes vêm de diversas outras relações teatrais e querem mantê-las. Não queremos nenhum rompimento, somos um casamento aberto”, explica Antonio Fabio.
“Queremos falar de relações humanas, principalmente as que não são muito representadas na cena teatral. Interessa-nos pensar na condição do ser humano contemporâneo, cada vez mais livre, cada vez mais preso”, especifica o ator de Major Oliveira.
Além de Antonio Fábio e Daniel Arcades, a companhia inicia seus trabalhos com o trabalho de Karla Koimbra, Nando Zâmbia, Edeise Gomes e Victor Hugo Sá, além de diversos artistas convidados. O grupo também quer se associar a empresas de assessoria e publicidade para entender a lógica da crise de público que o teatro tem enfrentado.
Enquanto a temporada de Major Oliveira inicia os trabalhos de 2017, o grupo se prepara para conceber um segundo trabalho. A ideia é que estreie no segundo semestre e discuta as relações entre gerações a partir de um casal de senhores que entra em uma sauna cheia de corpos juvenis. O casal será vivido por Antonio Fábio e Hamilton Lima (Rebola, As Confrarias) e, neste momento, a pesquisa para a concepção dramatúrgica e da encenação está sendo desenvolvida.

SERVIÇO:
O quê: Espetáculo teatral “Major Oliveira”
Onde: Teatro Sesc-Senac Pelourinho, Largo do Pelourinho, 19 - Pelourinho, Salvador - BA, 40026-280 Telefone: (71) 3324-4520
Quando: 08 a 23 de março (quartas e quintas) às 19:30
Quanto: R$20 (inteira) e R$10 (meia)
Faixa etária: 14 anos

FICHA TÉCNICA:
Major Oliveira
Texto: Daniel Arcades
Elenco: Antonio Fábio
Encenação, direção, cenografia, figurino e produção: Daniel Arcades e Antonio Fábio
Direção Musical e Trilha Sonora: Ronei Jorge
Iluminação: Nando Zâmbia
Direção de Movimento: Edeise Gomes
Maquiagem de Evelyn Barbieri
Consultoria de Figurino: Hamilton Lima
Cenotécnicos: Gei Correia e Guilherme Barsan/Armazém Cenográfico
Operação de luz: Victor Hugo Sá
Operação de som: Daniel Arcades
Assistência de direção e produção: Karla Coimbra
Fotografia: Uendel Galter (divulgação) e Andrea Magnoni (espetáculo)
Assessoria de Imprensa: Théâtre Comunicação – Rafael Brito
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário