terça-feira, 2 de maio de 2017

Exu – A Boca do Universo volta a cartaz dentro do projeto OROAFROBUMERANGUE


Com apoio Fundo Fundo de Cultura o espetáculo de maior projeção do Núcleo Afro Brasileiro de Teatro, de Alagoinhas, fica quatro dias de maio em cartaz
 

Foto: Adrea Magnoni

Agradecer a Exu pelas conquistas e num pedido para que continue a abrir os caminhos, o Núcleo Afro Brasileiro de Teatro de Alagoinhas – NATA retorna com Exu – A Boca do Universo, de 04 a 07 de maio, às 20h, no Teatro Gregório de Matos. O espetáculo, que já rodou mais de 30 cidades brasileiras pelo Palco Giratório do Sesc 2015, traz cinco qualidades/características dentro do universo que é esta divindade e alguns itan – palavra em ioruba que significa lendas, histórias e mitos.
As apresentações dão início ao projeto realizado pelo NATA, chamado OROAFROBUMERANGUE, com apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura da Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, aprovado no Edital Setorial de Teatro da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb). O projeto propõe a realização de diversas ações em 2017 e 2018, nos municípios de Alagoinhas e Salvador.
“Traremos uma discussão importantíssima para o repertório do NATA: o empoderamento da mulher negra. Tudo que produzirmos nesses dois anos vai reverberar na montagem do nosso novo espetáculo Oxum, com previsão de estreia em outubro do ano que vem”, destaca Onisajé.
Serão realizadas oficinas para comunidade de Alagoinhas, duas edições do IPADÊ – Fórum NATA de Africanidade (Alagoinhas e Salvador), apresentações de Exu – A Boca do Universo (Salvador), temporadas do projeto Natas em Solos - Seis Olhares Sobre o Mundo (Alagoinhas e Salvador), manutenção e montagem do espetáculo Oxum. “Teremos ainda nas duas cidades a realização do Sarau Noites Afro-Poéticas e, em janeiro de 2018, a volta de Sire Obá”, ressalta Susan Kalik, que é diretora da Modupé Produtora, empresa responsável pela produção do NATA.
Espetáculo - Exu é o “infinito e mais um”. Um ato de desmistificação e celebração, a dramaturgia lírica de Daniel Arcades – que também está em cena no espetáculo - apresenta Yangui, o primeiro indivíduo a ser criado por Olodumare – o grande Deus, pois Exu é o primeiro de todos os indivíduos que habitam o Aiyê; tem Exu Enugbarijô, o grande comunicador e que está ligado aos prazeres obtidos através da oralidade.
Assistimos ainda a famosa alusão sexual deste orixá, Exu Legbá, que também representa o poder, a liberdade e a sexualidade. Onisajé nos antecipou que Exu é o orixá de rotação e translação, este é Exu Bará, aquele que rege os movimentos do corpo, que está dentro dos seres vivos. “Ele é o movimento de rotação, gira em torno de si mesmo; e o de translação, que gira em torno de algo maior. No caso da terra, o sol”, exemplifica Onisajé.
Possivelmente, Exu é dentro de todos os orixás o que mais sofre de intolerância religiosa, por isso, através de um longo processo de pesquisa Arcades e Onisajé chegaram ao babalorixá Rychelmy Imbiriba, do Ilê Axé Ojissé Olodumare, filho de Exu, que dentro de inúmeros itan contou a respeito do amor de Exu por Oxum.  “Como pode ser do mal alguém que ama?”, questiona Onisajé. Fruto desse amor nasce Oseturá, o Exu mais novo, também presente no espetáculo do NATA.
Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais. Para mais informações, acesse: www.cultura.ba.gov.br

SERVIÇO
 
Projeto OROAFROBUMERANGUE
Exu – A Boca do Universo
Local: Teatro Gregório de Matos
Datas: 04 a 07 de maio
Horário: Às 19h

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário