quarta-feira, 5 de julho de 2017

HOMENAGEM AO 2 DE JULHO


INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O CURSO HISTÓRIA DA BAHIA
Aulas iniciam dia 7 de agosto, no IGHB

Para homenagear os 194 da Independência do Brasil na Bahia, o Instituto Geográfico e Histórico da Bahia abriu inscrições para o Curso História da Bahia. As aulas, com início dia 7 de agosto, serão ministradas pela professora doutora Antonietta D´Aguiar Nunes, sempre uma semana por mês, entre agosto a novembro, com carga horária de 80 horas.
Durante o curso serão debatidos temas como a Pré História Brasileira e Baiana; capitanias hereditárias; primeiros engenhos e negros vindos para o Brasil; o séc. XVIII baiano: ouro em Rio de Contas e Jacobina; Revolução dos Búzios; a província da Bahia do sec. XIX; a Bahia republicana; arte moderna na Bahia; revolução de 1930 e a chamada Era Vargas, dentre outros.
Estão sendo oferecidas 180 vagas. A taxa de inscrição é R$ 150,00 (cento e cinqüenta reais) e pode ser feita pelo sitewww.ighb.org.br – Informações: Avenida Joana Angélica, 43, Piedade, e tel. 71 3329 4463 (das 13h às 18h). 
O material de apoio do curso é o livro História Baiana – dos Tempos Pré-Históricos ao Brasil Reino, de autoria da professora Antonietta Nunes. Editado pela Kalango e lançado em maio deste ano, o livro começa nos tempos pré-históricos em que menciona os registros dessa época existentes na Bahia, fala dos indígenas que aqui habitavam quando os portugueses chegaram, das primeiras expedições exploradoras, guarda-costeiras e colonizadora, antes de mencionar o sistema de capitanias e falar das que primitivamente compuseram o território do hoje estado da Bahia. Traz práticas tabelas relacionando os administradores civis e eclesiásticos e os principais acontecimentos na gestão de cada um deles. Trata da exploração econômica da terra, da defesa militar e da sociedade e cultura na Bahia colonial. Conclui com a elevação do Brasil a Reino, unido aos de Portugal e ao de Algarves, recém-criado, formando a comunidade lusófona de nações, submetida à mesma autoridade monárquica. Menciona, com breves históricos, cerca de 200 monumentos que devem ser conhecidos e visitados por soteropolitanos e turistas. No final traz um glossário com explicação do sentido de certos termos usados que, ou são pouco conhecidos, ou têm outra significação em nossos dias.

HISTÓRIA DA BAHIA EM FEIRA - Feira de Santana também vai receber o curso História da Bahia. As aulas serão realizadas na Associação Comercial do município e é promovido em parceria com o Instituto Histórico e Geográfico de Feira de Santana. Vai acontecer a partir do dia 31 de julho, com carga horária de 20 horas, e as inscrições também são pelo site do IGHB.

O IGHB é uma das 15 instituições apoiadas pelo programa Ações Continuadas a Instituições Culturais, iniciativa da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) através do Fundo de Cultura da Bahia (FCBA).

Sobre a instrutora: 
Graduada em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Mestre e Doutora pela Universidade Federal da Bahia, onde também lecionou a disciplina de História da Educação. Atuou como Historiógrafa do Arquivo Público do Estado da Bahia entre 1981 e 2001. É instrutora, desde 2011, do Curso História da Bahia.

SERVIÇO
O que: Curso de história da Bahia
Quando: agosto a novembro de 2017 (quatro módulos)
Agosto (7 a 11); Setembro (4 a 9); Outubro (16 a 20); Novembro (6 a 10).
Instrutora: Antonietta D´Aguiar Nunes
Historiógrafa do Arquivo Público do Estado da Bahia por 30 anos e professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia.
Valor: R$ 150,00 (cento e cinqüenta reais)
Carga horária: 80 horas
Informações: www.ighb.org.br


 
AGOSTO:
Pré História brasileira e baiana. Índios que viviam na Bahia quando os europeus aqui chegaram.
Descobrimento do Brasil na Bahia / Expedições exploradoras, guarda-costeiras e colonizadora. Escambo do pau Brasil. Naufrágio de Diogo Álvares Correia em 1509 (Caramuru) Capitanias hereditárias baianas em 1534: Todos os Santos, Ilhéus, Porto Seguro, (e Pernambuco). Capitanias de Itaparica e Tamarandiva, Paraguaçu e Sergipe d´El Rei.
Governo Geral, fundação de Salvador. Instâncias administrativas Administração eclesiástica: divisão em freguesias, e Criação do Bispado de São Salvador e instituição do Arcebispado. O sistema do Padroado e a Propaganda Fidae.
Os Jesuítas e seu sistema educacional: com os índios e negros; b) colégios urbanos c) Destacados jesuítas.
Primeiros engenhos e negros vindos para o Brasil. Tráfico negreiro. Monumentos históricos do sec. XVI.

SETEMBRO
Açúcar como principal gênero no Recôncavo. A expansão pecuária: casas da Torre e da Ponte: o ciclo do boi, fornecimento de gado para a região das minas. Fumo e economia de subsistência e mandioca como subsidiárias da economia açucareira
União Ibérica. Governo de Luiz de Souza (1617-1622) e a criação do Estado do Maranhão e Grão Pará (1621). Ocupação holandesa em Salvador. Pesca da Baleia.
Defesa da Bahia nos secs. XVI a XVIII. Novo plano de fortificação da cidade (João Massé, 1714). O sec. XVIII baiano. Exploração aurífera. Ouro em Rio de Contas e Jacobina. Casas de Fundição. Tropas de burros.  Monumentos sec. XVII.
Restauração Portuguesa 1640 a 1750. Aldeias administradas de índios no interior. Fundação do seminário de Belém. Peste da “bicha” (febre amarela) e S. Francisco Xavier como padroeiro de Salvador. Barroco nas igrejas baianas da 1ª metade do sec. XVIII. Reforma na Universidade de Coimbra.
Reinados de D. José I e D. Maria I: 1750 a 1816. Terremoto de Lisboa em 1755. O Marquês de Pombal e suas reformas administrativas e educacionais. Mudanças das capitais dos dois estados da América Portuguesa. Expulsão dos jesuítas e criação das Aulas Régias. Monumentos sec. XVIII.

OUTUBRO
Formandos na Universidade de Coimbra reformada. Anseios de liberdade – índios. Anseios de liberdade – brancos.  A vinda da Família Real para o Brasil, Instituição do Reino do Brasil. Governo do 8º Conde dos Arcos na Bahia: aulas régias, Biblioteca, Teatro, Associação Comercial, Seminário diocesano.
Brasil Reino. Independência. Luta pela expulsão dos portugueses. Brasil Império. Governo de Pedro I.
Missão artística francesa e Neoclassicismo. Brasil Império. Período Regencial. Anseios de Liberdade – negros. A Sabinada
Reformas de igrejas Para o Neoclássico. Governo de Pedro II. Guerra do Paraguai
Proclamação da República projetos educacionais em conflito. (Apres. Tese AAN: 56q). Monumentos sec XIX.
  
NOVEMBRO
Aclamação da República na Bahia: Separação da Igreja e Estado. O episódio de Canudos. Advento da prosperidade cacaueira.
Bombardeio de Salvador e sua remodelação. Educação na Bahia durante a 1ª república. Reforma Escola Nova no governo Goes Calmon. Desenvolvimento de indústrias e movimentos grevistas. A “involução” baiana. A Revolução de 1930 e a chamada “era Vargas” na Bahia. Isaias Alves e sua atuação.
Redemocratização de 1946, constituição estadual, governo Otávio Mangabeira e a atuação de Anísio Teixeira. Arte Moderna na Bahia 1.
Desenvolvimento baiano: descoberta e exploração do Petróleo, CPE, Centro industrial de Aratu, Pólo Petroquímico de Camaçari.  Arte Moderna na Bahia 2.
O período do governo policial-militar na Bahia (1964-1985) (56q).  Monumentos do sec XX///
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário