domingo, 26 de fevereiro de 2017

Jorge Mautner, Gerônimo, microtrio Carroça Elétrica e Bloco Mundo Negro entre os destaques da segunda-feira (27) do Carnaval da Cultura




A programação do Carnaval do Pelô e do Carnaval Pipoca não perde o fôlego no penúltimo dia da folia, nesta segunda-feira (27). Destaques de diferentes estilos e gerações passam pelos palcos da folia, além de continuar o agito dos circuitos.

O palco principal no Largo do Pelourinho abre às 19h com os Tropicalistas e Tropifágicos. Com a presença do mestre Jorge Mautner, figura com forte influência sobre as obras dos baianos Caetano Veloso e Gilberto Gil, e um dos grandes influenciadores do Tropicalismo, a banda Cena Tropifágica promove uma noite repleta de clássicos do movimento, além de outros sucessos da MPB e Axé. Para completar, a noite tem participação da cantora Mariella Santiago.

Contar a história da música axé, destacando a sua estreita relação com as religiões de matrizes africanas e com a afrodescendência, é a proposta do show “Axé Music – Música Forte”, que tem à frente um dos principais nomes do gênero, o cantor e compositor Gerônimo Santana. Autor de sucessos como “É D’Oxum”, “Jubiabá” e “Eu Sou Negão”, Gerônimo divide o palco com Laurinha, uma das primeiras cantoras de trio elétrico, e Adailton Poesia, um dos maiores compositores de bloco afro. O show começa às 21h30, no Largo do Pelourinho.

A festa continua com uma programação diversificada nos largos do Pelô.  Além de muita diversão com o baile infantil dos Gatos Multicores, às 15h30, o Largo Pedro Archanjo recebe o concerto dançante da Orquestra Sérgio Benutti, às 19h30, e encerra ao som eletrizante da guitarra baiana de Ricardo Marques com a banda Ligação 70. No Largo Tereza Batista, às 20h, o cantor e compositor Carlos Pitta chega ao penúltimo dia com o projeto Praça do Frevo Elétrico, que mistura frevo, guitarra baiana e axé.  Logo após, às 22h30, o balanço do reggae toma conta da folia com a Banda Cativeiro.  Já no Largo Quincas Berro D’Água vai ser impossível ficar parado ao som do arrocha de Magno Santé, às 20h, e com o samba representado por um dos maiores nomes do gênero na Bahia, Raymundo Sodré, às 23h.

Também tem folia nas ruas do Centro Histórico, os desfiles começam às 15h com a turma da Escola Olodum. Durante a tarde e a noite ainda se apresentam bandas e grupos de diversos estilos. A partir das 16h tem Bandinha do Guima, Folia Mamulengo, Bandinha da Rilza, Fanfarra do Ney, Maracatu Santo Antonio, Boiada Multicor, Banda Varal de Cordel, Escola de Samba Unidos de Itapuã, Bloco A Turma do Tô Melado e a banda Tambores e Cores. De noite, às 20h, desfilam Paraoano Sai Milhó, Orquestra Os Franciscanos, Filó Brincantes, Turma do Bassa, Paió de Rua, Bandão Jurema, Cia de Danças e Folguedos,  Bandão do Farias e Bandão Aurora.

Já o projeto Carnaval Pipoca leva a folia sem cordas ao Circuito Osmar (Campo Grande), com o microtrio Carroça Elétrica Viola Vadia, que tem como atração o sambista Neto Bala. A saída está prevista para 17h.


O Carnaval Ouro Negro pode ter um dos seus melhores momentos na edição deste ano. Pela sua histórica luta de 27 anos em favor da demarcação de um território e preservação da memória afro-brasileira, o Bloco Mundo Negro vem à rua mais uma vez e sai nesta segunda feira de carnaval (27), às 20h30. A comunidade negra do Beiru marca presença no carnaval 2017 com o desejo de manter o nome original do bairro em homenagem a um negro de origem nigeriana. Vale lembrar que foi o único negro a dar nome a um bairro de Salvador e que foi arbitrariamente substituído.  Uma história pra lá de interessante, se bem apurada. O bloco desce no circuito Osmar (Campo Grande) com a sua Banda para manifestar o trabalho social realizado pela Associação Comunitária e Carnavalesca Mundo Negro. A intenção a cobertura pode ser a história da mensagem ancestral do bloco com as vertentes da diáspora africana. A pauta pode ser interessante pelo fato do bloco sempre surpreender no desfile, daí valer a pena acompanhar.


CARNAVAL DA CULTURA
O Carnaval da Cultura é o carnaval da democracia e da diversidade e do folião pipoca, que leva para as ruas, durante todos os dias e circuitos da folia, a mistura de ritmos e gêneros musicais e, principalmente, a estética e a arte de diferentes artistas, grupos e entidades culturais da Bahia. São centenas de atrações e shows gratuitos de afoxé, samba, reggae, axé, pop, MPB, fanfarras e muito mais. É diversão garantida para todos os gostos e estilos no espaço público da rua para alegria do folião. O Carnaval da Cultura – uma realização da Secretaria da Cultura do Estado da Bahia, por meio do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) – está organizado a partir de quatro programas: Carnaval do Pelô, Carnaval Pipoca, Carnaval Ouro Negro e Outros Carnavais. A programação completa de nossa festa está disponível nos sites www.cultura.ba.gov.br e www.carnaval.bahia.com.br.


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário