quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

“Lê pra mim, Madre” incentiva a leitura em Madre de Deus


Projeto selecionado nos Editais Setoriais 2016 capacitou 12 “contadores” de histórias para trabalhar com crianças das comunidades
 
Escolas, residências e o Hospital Municipal, na cidade de Madre de Deus (Recôncavo) vão ser beneficiados pelo projeto “Lê para mim, Madre!”, que vai trabalhar com “contação” de histórias e mediação de leitura para crianças do município. Uma oficina, ministrada pelas educadoras Maria José Matos e Carla Chistnet - com participação de Terezinha Passos e musicalização dos alunos de violão do Espaço de Cultura e Artes de Madre de Deus -, deu partida à iniciativa que se estenderá até abril.
O projeto foi selecionado nos Editais Setoriais 2016, na linha Incentivo à Formação de Leitores e Mediadores, do Fundo de Cultura da Bahia (Secretaria de Cultura e da Fazenda) e fortalece a relação da Biblioteca Pública Municipal com a comunidade. Segundo o diretor de Cultura e Turismo e coordenador do projeto, Cláudio Silva, foram capacitadas 12 agentes de leitura que trabalharão em diferentes ambientes, inclusive no setor de internação pediátrica do Hospital municipal, residências, em creches e brinquedotecas.
“Essa é a terceira edição do projeto, dessa feita com o importante apoio dos Editais Setoriais. Os recursos nos ajudaram a adquirir livros e capacitar os agentes. Ao final do projeto, o material de leitura seda doado ao acervo da Biblioteca Municipal”. No projeto, foram priorizados os autores nacionais, com leituras que ajudarão na formação cidadã dos meninos e meninas de Madre Deus. Livros como “Bom dia todas as cores”, da escritora Ruth Rocha, serão “contados” para grupos de crianças, estimulando a leitura desde a alfabetização.
O projeto conta com a participação de Jéssica Queirós, Naira Lane, Elaine Lima e Márcia Andrade, que atuarão como agentes de leitura e mais funcionários da biblioteca municipal. “Os agentes começam a visitar as comunidades no dia 6 de fevereiro buscando alcançar o máximo de público. Essa edição é dedicada ao garoto Gustavo Medeiros, que deixou-nos aos 11 anos devido a uma leucemia. Ele gostava de leitura e estava internado no Hospital martagão Gesteira, em Salvador”, conta Cláudio Silva. “Lê para mim, Madre”, será também levado às famílias de pescadores e marisqueiras do município.

Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico e culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias Estaduais de Cultura e da Fazenda da Bahia. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais. Para mais informações, acesse: Mobilidade Artística e Cultural 2015.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário