quinta-feira, 13 de abril de 2017

Feira de Impressos está com inscrições abertas para expositores


 A Feira já está aberta à participação de artistas, editores independentes, coletivos, editoras, entre outros segmentos

Foto: Apus Filmes

O Recôncavo baiano é um dos mais antigos territórios ocupados no Estado. Sua memória gráfica é uma dentre suas tantas riquezas. Em Cachoeira e São Félix, por exemplo, existem e resistem uma série de antigas prensas e tipografias. Nas gráficas locais, foram rodados muitos exemplares do Correio de São Félix, entre outras publicações. Em litografia, foram produzidos os incríveis rótulos dos Charutos Dannmann. Adentrar pelas memórias dessa Bahia rica e pulsante é o que pretende o projeto Baía Gráfica, que prevê a realização da Paraguassu - Feira de Impressos, em Salvador, a produção do documentário Baía Gráfica e da publicação Ympressos Paraguassu.
A Paraguassu - Feira de Impressos é o braço de rio, o leito de encontros e experimentações do projeto. Tem data prevista para acontecer entre os dias 2 e 4 de junho, no Palacete das Artes, em Salvador. A ação está aberta à participação de artistas, editores independentes, coletivos, editoras, entre outros segmentos. Os trabalhos podem ter temas, formatos e conceitos diversos. As inscrições para expositores são gratuitas e estão abertas até o dia 20 de abril. Pelo link: https://goo.gl/forms/ABjdCQrQy38CwwVB2.
Paraguassu vem do tupi - pará (rio) gûasu (grande). Era o nome dado pelos nossos antepassados tupinambás à Baía de Todos os Santos. Hoje, muito conhecido pelo rio que corta cidades do Recôncavo, como Cachoeira e São Félix, e tem sua nascente em Barra da Estiva, no centro-sul da Bahia, Paraguassu é a imagem poética que margeia nossas utopias gráficas e nosso desejo de encontro com editores, impressores e artistas de todo o Brasil.
Por entre os municípios de Saubara e Maragogipe, sua foz desemboca nesta Baía – o “nosso mar interior” - um seio marinho semeado de ilhas, ilhotas, com seus rios e suas ribeiras, seus manguezais, praias, enseadas e campinas de beira-mar. Não por acaso, o projeto Baía Gráfica parte justamente do Recôncavo da Baía para produzir suas paisagens gráficas, em torno de antigas tipografias e mestres impressores.
Idealizadores - O projeto Baía Gráfica é uma realização do Coletivo Sociedade da Prensa. Tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia. Em 2016, a incursão foi pelas gráficas e memórias do Tabuão, em Salvador, desembocando na “Tabuão - Feira de Impressos” que reuniu mais de 40 expositores de todo o Brasil. Em 2017, as andanças se espalham pelas memórias do Recôncavo Baiano.
A Sociedade da Prensa surgiu em 2013 como um ajuntamento coletivo curioso em soluções gráficas artesanais e técnicas de impressão de baixo custo. Como o próprio nome sinaliza, o interesse do coletivo gira em torno de velhos equipamentos e antigos ofícios gráficos. No ateliê abrigado no centro antigo, na Rua Direita do Santo Antônio Além do Carmo, Flávio Oliveira, Laura Castro e Tiago Ribeiro produzem diversos materiais gráficos como cartazes, livros, catálogos, entre outros, sempre com uma linha de pesquisa experimental em torno, sobretudo, da publicação.

Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais. Para mais informações, acesse: www.cultura.ba.gov.br
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário