terça-feira, 18 de abril de 2017

Prêmio Braskem de Teatro anuncia os destaques e homenageia os 50 anos do TCA


A cantora Manuela Rodrigues e os músicos da Orquestra Castro Alves (OCA) participam da cerimônia de premiação dirigida por Márcio Meirelles, no Teatro Castro Alves (TCA)

Imagem aérea do TCA - Foto: Adenor Gondim

Os vencedores do Prêmio Braskem de Teatro serão conhecidos, nesta quarta-feira (19), às 20h, na sala principal do Teatro Castro Alves (TCA), em Salvador. A cerimônia, que revelará os destaques da cena teatral baiana em 2016, terá direção artística de Márcio Meirelles e irá homenagear os 50 anos do TCA, palco das principais manifestações culturais na Bahia. “O Teatro Castro Alves é a casa do Prêmio Braskem de Teatro desde sua primeira edição, por isso nada mais justo do que homenageá-lo no momento em que celebramos os 50 anos de sua inauguração”, explica Hélio Tourinho, gerente de Relações Institucionais da Braskem na Bahia.
A edificação, que é considerada uma das mais emblemáticas da arquitetura moderna do estado, foi inaugurada em 1957, fruto do trabalho do arquiteto Bina Fonyat. A cerimônia de premiação irá girar em torno da história destes 50 anos e da função do Teatro Castro Alves para a Bahia. “Vamos falar da inauguração, do incêndio e do que o teatro abriga em si, das pessoas que atuam, que trabalham e que criam narrativas”, destaca Márcio Meirelles. “Será um espetáculo sensorial e imersivo, quase uma instalação audiovisual com música, elementos cênicos e de outras línguas, que as vezes estarão superpostas”, afirma o diretor artístico do evento.
O Prêmio Braskem de Teatro destaca anualmente as melhores produções em oito categorias: Espetáculo Adulto, Espetáculo Infanto-Juvenil, Direção, Ator, Atriz, Texto, Revelação e Categoria Especial. De 1º de abril a 18 de dezembro de 2016, foram avaliadas 53 peças teatrais baianas consideradas profissionais e inéditas, que estiveram em cartaz em Salvador neste período.
A premiação é uma realização da Caderno 2 Produções e patrocinada pela Braskem e Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda. Pelo segundo ano, a produção teatral baiana também será reconhecida com a eleição do Espetáculo do Interior. Os cinco concorrentes desta categoria foram escolhidos durante a realização do 2º Polo Teatral - Festival de Teatro do Interior da Bahia, ocorrido entre de 14 de fevereiro a 19 de março, nas cidades de Itabuna, Juazeiro e Feira de Santana.
Homenagens especiais - Jornal, papelão, lona de caminhão, material sintético e telões gigantes irão envolver o palco principal do Teatro Castro Alves, formando o cenário da premiação elaborado pelo artista visual e cenógrafo Erick Saboya. Nos telões serão projetadas imagens de alguns momentos importantes da história do TCA. Os figurinos, assinados pela cantora, compositora e artista plástica Rebeca Matta, também dialogam com os materiais utilizados no cenário. Os looks produzidos com jornal, plástico, arame e tecidos sintéticos serão usados pela cantora Manuela Rodrigues e pelos músicos da Orquestra Castro Alves (OCA), que integra os Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (Neojiba).
A 24ª edição da mais tradicional premiação das artes cênicas baianas irá homenagear, ainda, os atores Fernando Fulco e Nadja Turenkko. Falecido em agosto de 2016, Fulco dedicou-se às artes cênicas por quase 40 anos. Nascido em Ilhéus, o ator começou sua carreira em Salvador, no grupo Amador Amadeu, na década de 1970. Atuou no elenco de "Os Saltimbancos", dirigido por Deolindo Checcucci, no Teatro Castro Alves. A montagem lhe rendeu seu primeiro reconhecimento no Prêmio Martim Gonçalves, como ator revelação. Ainda na década de 1970, participou do grupo Avelãz e Avestruz ao lado de Márcio Meirelles, Maria Eugênia Milet, Hebe Alves, Sérgio Guedes, Sérgio Carvalho, Milton Macêdo e Chica Carelli. No teatro, Fulco trabalhou ainda com diretores como Fernando Guerreiro, Luiz Marfuz, Sergio Almeida, Fernando Moura Novas e Vinicio Oliveira.
Já Nadja Turenkko foi precursora da Mímica Corporal no Brasil. Em 30 anos de carreira, atuou em 34 espetáculos teatrais, participou de três longas e dois curtas metragens, seriados e publicidade em TV como atriz, diretora, professora e roteirista. Turenkko faleceu em 19 setembro de 2016, Dia Nacional do Teatro. “Meu sentimento em relação a homenagem a Nadja é de gratidão aos que pertencem a Salvador, por ela ter engrandecido esta cidade com sua arte e vivências. Nadja foi mulher, mãe, amiga, irmã, criança, professora, filha, Mestre e companheira indivisível. Uma artista do corpo e da alma, por unir a interpretação artística com a espiritualidade”, ressalta Maurício Cardoso Jr., viúvo da artista.
O júri - Integraram a Comissão Julgadora desta 24ª edição do Prêmio Braskem de Teatro: Bertho Filho, ator, diretor teatral e dramaturgo; Gordo Neto, ator, diretor teatral e autor; Hilda Nascimento, diretora teatral, preparadora corporal e educadora; Jackson Costa, ator e apresentador e Kátia Borges, jornalista e doutoranda em Literatura e Cultura pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Além do troféu, os vencedores das categorias Espetáculo Adulto e Espetáculo Infantojuvenil receberão um prêmio no valor bruto de R$ 30 mil cada, enquanto os demais vencedores serão contemplados com um prêmio no valor bruto de R$ 5 mil cada.
Imagens para Download:
Peças concorrentes:

TCA, dos homenageados e do diretor artístico Márcio Meirelles:




CONFIRA OS INDICADOS AO 24º PRÊMIO BRASKEM DE TEATRO:
Prêmio Braskem de Teatro 2016
ESPETÁCULO ADULTO
  • DARK TIME (ou a Santa Joana Vive nos Matadouros)
  • LAUDAMUCO – Senhor de Nenhures
  • MÁGICO MAR
  • MALVA ROSA
  • REBOLA
ESPETÁCULO INFANTOJUVENIL
  • AVESSO
  • INVENTA DESINVENTA
  • O CORDEL DE MARIA CIN-DRAG-RELA
  • PINDORAMA
ESPETÁCULO DO INTERIOR
  • MATRAGA, do Grupo Conto em Cena (Feira de Santana)
  • O CANDELABRO, da Cia Távola de Teatro (Lauro de Freitas)
  • O SANTO E A PORCA, da Cia Acordada (Ilhéus)
  • OS FOGATAS, da Cia Cuca de Teatro (Feira de Santana)
  • PARIRÉ, da Cia OperaKata (Vitória da Conquista)
DIREÇÃO
  • JOÃO SANCHES, por EGOPTRIP
  • MARCIO MEIRELLES, por ROMEU & JULIETA
  • PAULO CUNHO, por DARK TIME (ou a Santa Joana Vive nos Matadouros)
  • RINO DE CARVALHO, por MÁGICO MAR
  • THIAGO ROMERO, por REBOLA
ATOR
  • DANILO CAIRO, pela atuação em A PROLE DOS SATURNOS, LAUDAMUCO – Senhor de Nenhures e NARCISSUS
  • IGOR EPIFÂNIO, pela atuação em EGOTRIP
  • JOÃO GUISANDE, pela atuação em LAUDAMUCO – Senhor de Nenhures e MALVA ROSA
  • SULIVÃ BISPO, pela atuação em KAIALA, REBOLA e ROMEU & JULIETA
  • WANDERLEY MEIRA, pela atuação em DARK TIME (ou a Santa Joana Vive nos Matadouros)
ATRIZ
  • ALETHEA NOVAES, pela atuação em MAS NÃO ANDE NUA POR AÍ EM PELO
  • CLAUDIA DI MOURA, pela atuação em O GALO
  • EDDY VERÍSSIMO, pela atuação em SOBEJO
  • SIMONE DE ARAUJO, pela atuação em MÁGICO MAR
  • UERLA CARDOSO, pela atuação em SOBRE A PELE
TEXTO
  • DANIEL ARCADES, por REBOLA
  • FERNANDO SANTANA, por SOBRE A PELE
  • GILDON OLIVEIRA, por AVESSO
  • JOÃO SANCHES, por EGOTRIP
  • JOYCE AGLAE, por MÁGICO MAR
REVELAÇÃO
  • ALISSON DE SÁ, pela direção de MALVA ROSA
  • FERNANDA BELTRÃO, pela atuação de LAUDAMUCO – Senhor de Nenhures
  • FERNANDO SANTANA, pela direção de SOBRE A PELE
  • MARCOS LOBO, pela direção de MAÇÃ
  • RIDSON REIS, pela direção O CONTAINER
CATEGORIA ESPECIAL

  • AGAMENON DE ABREU, pelo cenário, figurino e adereços do espetáculo AVESSO
  • MAURÍCIO PEDROSA, pelo desenho de cenário do espetáculo MÁGICO MAR
  • UERLA CARDOSO e DANILO LIMA, pela preparação corporal do espetáculo MAÇÃ
  • RINO DE CARVALHO, pelo figurino do espetáculo MÁGICO MAR
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário