terça-feira, 2 de maio de 2017

Casa Guió apresenta o workshop “Palhaçaria e Educação: A Arte da Desescolarização”




A arte do palhaço tem muito a contribuir para a relação entre educadores e educandos mostrando o quanto a brincadeira é séria e como, através do lúdico, podemos chegar a infinitas possibilidades de realização

No dia 06 de maio, das 14 às 18h, e no dia 07, das 9h às 13h e das 14h às 18h, a Casa Guió oferece o workshop “Palhaçaria e Educação: A Arte da Desescolarização”, uma vivência especialmente indicada para pais, mães, educadores, professores, artistas e todos os interessados em investigar o corpo espontâneo e seu estado de liberdade de espírito.
“A proposta é descobrir os princípios da arte do palhaço já presentes em cada um de nós e embarcar para a rememoração das nossas potências únicas, autênticas e verdadeiras, que nasceram conosco e que foram desde a infância massificadas e reprimidas pelo paradigma da escolarização da sociedade”, informa Igor Sant´Anna, o palhaço Caxambó, facilitador do trabalho.
Proposta metodológica – Neste workshop, os adultos embarcarão na experiência de libertação da espontaneidade corporal através da vivência lúdica de brincadeiras e exercícios utilizados em cursos de iniciação à pesquisa do palhaço pessoal.

De acordo com Sant´Anna, através do rir de si mesmo e das próprias mazelas, chega-se a um brincar sério e sincero capaz de sacudir nossas couraças e nos guiar para a profundidade de comunicação com nós mesmos e nossos pares.

“Desta forma, podemos experimentar a verdadeira educação que surge quando os adultos aproveitam a existência das suas próprias crianças interiores como algo sagrado, capaz de transformar o cotidiano e levar as pessoas a estados de espírito elevados. Aqueles que se rendem à inocência das crianças têm a oportunidade de vivenciar uma relação de amor e companheirismo que ultrapassa os papéis pré-estabelecidos na sociedade”, observa Igor.

Para Igor, a escolarização de nossos dias impõe relações de poder. “A ameaça constante, a punição, a perda do prestígio social são alguns dos mecanismos pelos quais se implanta uma sociedade do medo e uma violência habitual”, complementa.

Ainda de acordo com o facilitador, somos dominados por uma cultura de relações humanas que culminam na formação de couraças, fazendo o coração bater mais forte somente por questões como a competitividade e o sucesso a qualquer custo. “O palhaço é aquele que assume o lugar do perdedor para que os outros possam rir do seu ridículo. Sem contestar o egoísmo humano que dá risada das derrotas alheias, o palhaço se entrega generosamente como o perdedor feliz”, finaliza.

Sobre o facilitador
Igor Sant´Anna é doutor em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia e, também, o palhaço Caxambó, desde 2005, quando se formou no curso de Iniciação à pesquisa na Técnica do Clown por Alexandre Luís Casali (SSA).
No ano de 2007, funda a Cia Pé na Terra e, através da prática constante de atuação na arte de rua, cria, atua e dirige números e espetáculos de palhaço. Tem como foco de pesquisa-ação a relação entre a arte do palhaço e a desescolarização da sociedade.
Em 2009, inicia a carreira de pai. Educador dos próprios filhos, pratica a desescolarização de si como forma de não atrapalhar o processo educativo do outro.
Contatos:
(071) 9 9225 2825 (zap)
Mais informações:
. Flavia Castagno - 71 99977-7616 / acasaguio@gmail.com / @casaguio
Casa Guió: Rua Odilon Santos, 202, Rio Vermelho  (duas casas antes da boate Commons)
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário