terça-feira, 20 de junho de 2017

ARMAZÉM DA MODA REALIZA CURSO PARA MAIS DE 90 PESSOAS ATÉ O MÊS DE NOVEMBRO


Cursos gratuitos serão promovidos todas as terças e quartas, das 14 às 17h, entre os meses de junho e novembro deste ano



Moda, arte, cultura, empreendedorismo, capacitação profissional, transformação social e muito mais. Tudo isso reunido em um só lugar: no Armazém da Moda, do Instituto ACM de Ação, Cidadania e Memória, que fica no Pelourinho. Essas são algumas das propostas do projeto Bahia Revoluções Criativas, que tem continuidade, com patrocínio da ADEMI.

“O Armazém da Moda surgiu da dificuldade que temos de encontrar profissionais que ofereçam um processo criativo diferenciado. O nosso intuito é ensinar o passo a passo do processo de produção criativa e artesanal, para a partir disso prepararmos e formarmos verdadeiros profissionais empreendedores para o mercado. Queremos ajudar a fazer a diferença, valorizando e dando o destaque que a moda baiana merece”, explica Claudia Vaz, diretora Executiva do Instituto ACM.

Ao todo, são duas turmas, divididas entre mais de 90 pessoas, nos cursos gratuitos, ofertados as terças e quartas-feiras, das 14h às 17h, entre os meses de junho e novembro. Quem está responsável por conduzir as atividades é a designer baiana e facilitadora do projeto, Luciana Galeão. Ela relata que na programação estão a elaboração de um painel de referências; exercício de pesquisa para identificação de inspirações, através das expressões culturais, temas e mix de produtos; estudo de cartela de cores; análise de materiais e resíduos, além da confecção de uma coleção.

“A mesma metodologia que utilizo há oito anos será aplicada nos cursos, com os mesmos tópicos, porém, os conteúdos serão diferentes e irão ser adequados ao perfil de cada turma”, afirma Galeão.

Um dos aspectos mais interessantes é a pluralidade do público, que é composto por jornalistas, estilistas, alfaiates, designers, costureiras, dentre outros profissionais, todos atuantes no mercado da moda. Além disso, os processos criativos em moda terão foco em sustentabilidade, que é um dos pilares da indústria de moda atual”, conclui Galeão.

Mais informações podem ser obtidas através do site:http://www.bahiarevolucoescriativas.com.br/  e das redes sociais do projeto, no Instagram: @bahiarevolucoescriativas e na página oficial no Facebook: https://www.facebook.com/bahiarevolucoescriativas .

Saiba mais sobre o projeto Bahia Revoluções Criativas:
A qualificação e promoção do mercado local de Economia Criativa como fatores de transformação social é o principal objetivo do projeto Bahia Revoluções Criativas, uma iniciativa do IACM, que em sua primeira edição contou com o patrocínio da Coelba, empresa do Grupo Neoenergia. A primeira fase do projeto, realizada no período de novembro de 2016 a maio de 2017, capacitou diretamente cerca de 100 empreendedores e artistas do Centro Histórico, nas áreas de artesanato, tecelagem e capoeira.


Sobre o IACM:
Braço social da Rede Bahia, o Instituto ACM é uma organização privada sem fins lucrativos, destituída de vinculação político-partidária, que tem como direcionamento estratégico atuar na promoção da cultura contemporânea e preservação do patrimônio cultural da Bahia.

Através de parcerias com empresas, governos, organizações não governamentais, instituições públicas e privadas, o IACM faz a implementação de programas e projetos em todo o estado.

Sua sede fica localizada em um casarão do século XIX no Centro Histórico de Salvador. Foi fundada em 03 de setembro de 2010 e aberta ao público em 29 de março de 2011.

Sobre Luciana Galeão:
Desde 2010, a designer baiana Luciana Galeão desenvolve projetos voltados ao mundo do artesanato e da moda em diversas localidades de Salvador e interior da Bahia, onde ensina os processos de criação. Ela já atuou no Morro da Sereia, em Ondina; Tanquinho, na Chapada Diamantina, além de Nova Esperança, Piatã e Abrantes, em Camaçari. Ela explica que une a base acadêmica com a experiência adquirida no desenvolvimento de projetos artesanais. “Eu trago minha bagagem e realizo essa troca de conhecimentos com os artistas locais”, afirma.

Sugestões de fontes:
- Claudia Vaz, Diretora Executiva do Instituto ACM.

- Luciana Galeão, designer e facilitadora do projeto.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário