sexta-feira, 9 de junho de 2017

Espetáculo Bululu realiza circulação na Europa pelo Fundo de Cultura




Vencedor do Prêmio Braskem de Teatro 2016 de melhor espetáculo e melhor ator, "Bululú – Estórias da Invenção do Mundo" realiza circulação na Europa

Espetáculo Bululu - foto: Diney Araújo

Depois de conquistar a mais importante categoria do Prêmio Braskem de Teatro no ano de 2016, a de melhor espetáculo adulto, além do prêmio de melhor ator, dividido de forma inédita entre os intérpretes Danilo Cairo e João Guisande, o espetáculo "Bululú – Estórias da Invenção do Mundo" realiza uma circulação em Portugal através do projeto Toca de Teatro – Ampliando Fronteiras.
Este projeto foi contemplado através da primeira chamada da seleção pública Mobilidade Artística e Cultural e conta com o apoio financeiro do Governo da Bahia, via Fundo de Cultura, da Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. Um projeto de difusão e intercâmbio artístico que prevê algumas oficinas, encontros e apresentações do espetáculo na cidade de FAFE e em outras cidades localizadas no norte de Portugal.
O espetáculo foi escrito e dirigido pelo premiado Moncho Rodriguez (Caetana) e interpretado pelos atores baianos Danilo Cairo (Bartolomeus, Compadre de Ogum, Atire a Primeira Pedra) e João Guisande (A Capivara Selvagem, Amnesis, Bonitinha, mas Ordinária).
A peça conta a saga de dois comediantes muito especiais: Amadeus (Danilo Cairo) e Bartolomeus (João Guisande), tão antigos como o próprio teatro, o que é o mesmo que dizer: tão antigos como a Terra. Acabaram de chegar a um lugar onde pensam realizar o seu oficio de cada dia, ou seja, representar. Preparam os seus instrumentos, as suas roupas e máscaras e decidem contar o famoso romance da Invenção do Mundo, inspirado no Grande Teatro del Mundo, de Calderón de La Barca. Recitam, explicam e comentam todos os momentos do seu texto até que Bartolomeus começa a questionar a razão de estarem ali. Para que servem os cômicos? E as palavras? E os sonhos? Estas e outras questões abalam o mundo dos dois comediantes e levantam-lhes ainda outra dúvida: deverão escolher a ação da arte ou uma sociedade cada vez menos poética, menos sensível e mais consumista?
A obra é uma visão crítica e divertida do universo do teatro, da realidade, do sonho, da vida, do ator e do espectador na sociedade contemporânea, onde todos, sem sabem, representam uma personagem que finge não representar.
Moncho Rodriguez - Reconhecido como um dos mais importantes diretores e pesquisadores do teatro do mundo ibérico, com mais de 200 encenações realizadas na Espanha, Brasil e Portugal, é dramaturgo, figurinista, cenógrafo, diretor de atores, coordena a plataforma FAFE CIDADE DAS ARTES que mantém parcerias com o teatro brasileiro e recebe em Residências Artísticas jovens criadores para projetos experimentais de novas linguagens no universo do teatro, da música, da dança e do cinema na cidade de Fafe em Portugal.
Segundo Moncho Rodriguez, o que inspira as criações dos seus textos é a vontade de provocar uma ruptura nos conceitos e fórmula do teatro tradicional, o que na opinião dele muitas vezes só afasta o espectador. Criar uma dramaturgia que promova inquietações sensoriais na memória do imaginário invisível de cada participante (atores e públicos) desta celebração que é o teatro.
Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais. Para mais informações, acesse: www.cultura.ba.gov.br

 
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário