sexta-feira, 2 de junho de 2017

Secretário de Cultura recebe visita do embaixador da Índia


No pauta do encontro a intercâmbio cultural entre Salvador e Goa

Fotos: Lucas Rosário

A Baía de Todos os Santos vista da janela do Palácio Rio Branco. Assim o secretário de Cultura, Jorge Portugal, deu as boas vindas ao embaixador da Índia, Sunil Lal, no final da tarde desta quinta-feira (01). Juntos lembraram a rota dos colonizadores portugueses que descobriram o Brasil acreditando estar na terra de Mahatma Gandhi.  O embaixador veio apresentar Goa, um estado que pertenceu a Portugal por 450 anos, até 1961, ano em que os exércitos da Índia, recém independente do Império Britânico, tomaram de volta o território. Goa tem características brasileiras como praias de areia dourada e casario. O português não é o idioma oficial, mas é conhecido por muitos habitantes. “O português de Portugal é muito duro, no Brasil o negro adocicou a língua”, justifica secretário em tom de descontração.
Na pauta do encontro a interação cultural e o estreitamento das relações.
“Temos de aproximar as duas culturas, a gastronomia, a literatura”, sugeriu o embaixador. O secretário propôs transformar Salvador e Goa em cidades irmãs, “O primeiro aperto de mão, o primeiro intercâmbio será com cultura, culinária e o afoxé Filhos de Gandhi”, prometeu Portugal que ofereceu aos convidados a principal iguaria do tabuleiro da baiana, o acarajé e o abará com camarão. O embaixador provou e aprovou.
Também presente à reunião, Divaldo Borges, diretor de Regulação e Certificação de Serviços Turísticos da Secretaria de Turismo, representando o secretário José Alves, que tratou das possibilidades de intercâmbio turístico, com a abertura de vôos diretos para a Índia. O país que junto com Brasil, Rússia, China e África do Sul compõe o BRICS, grupo de nações emergentes consideradas subdesenvolvidas, mas que, nas últimas décadas, apresentaram um crescimento industrial alto tem se destacado no cenário econômico com um Produto Interno Bruto - PIB considerável, mais de dois trilhões de dólares e segundo o embaixador deve triplicar nos próximos seis anos, um cenário de um país promissor aberto a parcerias, “A porta de qualquer diálogo é a cultura’, concluiu Portugal.              
O secretário deu de presente ao embaixador uma escultura símbolo do  Recôncavo e um livro sobre a produção de cerâmica, atividade predominante em Goa e recebeu uma publicação sobre um bilhão de razões para conhecer a Índia.E são muitas as razões para visitar o país, mas uma é no mínimo curiosa e foi revela pelo secretário de Cultura, as relíquias de São Francisco Xavier, padroeiro de Salvador estão guardadas na basílica de Bom Jesus, em Goa.

Salvador e Goa, separadas geograficamente e, unidas pela diversidade, religiosidade, simpatia e hospitalidade do povo. 
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário