quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Flymoon chega a Salvador para, além de movimentar o corpo, trazer estabilidade e controle corporal e emocional


Fotos: João Meirelles.
 
A lua e o balanço dos antigos berços foram alguns dos elementos que serviram de inspiração para a baiana Clara Trigo mergulhar, por mais de 10 anos, no estudo de uma nova técnica, batizado de Flymoon. As aulas desafiam o equilíbrio, o controle de centro, a força e a coordenação motora, sempre de forma lúdica. Por ter diferentes graus de dificuldades e oferecer infinitos movimentos – que trabalham os músculos mais profundos­–, abrange os mais diversos públicos, desde crianças a idosos, atletas, pessoas ociosas, artistas de circo e pessoas em fase de reabilitação. A Flymoon já ganhou o mundo, tendo professores na Alemanha, Suíça, Espanha, Estados Unidos e algumas cidades do Brasil. E, apesar de ter nascido na Bahia e muita gente já ter praticado a técnica com a criadora, essa é a primeira vez que serão abertas aulas regulares aqui. A primeira aula, que acontecerá no dia 05 de agosto, às 08h, na Griffe do Corpo, será gratuita e aberta ao público. Para Clarissa Maltez, sócia da Griffe do Corpo, trazer as aulas de Flymoon para Salvador faz parte de uma prática do espaço de sempre oferecer novidades, com aulas dinâmicas e profissionais qualificados. “Sermos pioneiros da Flymoon no nosso Estado reflete o nosso desejo de proporcionar aos nossos clientes diversas técnicas e modalidades para cuidar do corpo e da mente com qualidade”, explica.

Bailarina, coreógrafa e professora de Pilates, Clara sentiu a necessidade de criar algo ainda em 2012, quando era graduanda em dança na UFBA e teve um novo olhar para um dos instrumentos do Pilates, a Meia Lua, ou Baby Arc: “Inverter a posição de uso da meia lua era algo coerente e até previsível no meu contexto de pesquisa corporal, já que a inversão de sentidos físicos e simbólicos era exatamente o princípio que guiava toda a poética do espetáculo que eu estava produzindo”. Assim começou a surgir o que ela, mais tarde, batizou de Instabilidade Poética ou a Flymoon, ou ainda, como gosta de nomear, a poesia do balanço. “O balanço remete à infância, às primeiras experiências possíveis para o corpinho do bebê que rola para se deslocar. Remete ao aconchego de ser ninado, à cadeira de balanço e ao aspecto terapêutico que o ritmo provoca, gerando um estado meditativo provocado pelo balanço”, explica a criadora da técnica.

Por trabalhar o equilíbrio com o uso da instabilidade, o papel do professor muda, já que a condução de cada movimento é feita pelo próprio aluno, tornando-o um investigador de si mesmo e do seu corpo. “É tão poderosa essa instabilidade, que obriga cada um a encontrar suas próprias soluções”, esclarece, Clara.  Ela ainda ressalta que a prática da Flymoon, dentre outros benefícios, contribui para esse processo de autoconhecimento, onde o indivíduo pode encontrar ferramentas para lidar com as instabilidades do mundo. Apesar de ser recomendado para todas as idades, os idosos têm um incentivo a mais para praticar o método, pois é um grande aliado na prevenção de quedas, reabilitação e melhoria da eficiência do movimento.

Serviço
O que: Aula aberta de Flymoon
Quando: 05 de agosto (sábado), às 08h
Onde: Griffe do Corpo – Boulevard 161, Itaigara.
Inscrições gratuitas: (71) 3359-9208
Vagas Limitadas.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário